Conversa de Pastor para Ovelha

Queridas irmãs e queridos irmãs, graça e paz!

 

Este é o nosso primeiro contato oficial em 2017. Estamos com muitas expectativas para este novo ano em relação a nossa querida Quarta IPI de Sorocaba. Aliás, todo início de ano é carregado deste sentimento de novas possibilidades. Isso é muito bom, porém, para que não fiquemos apenas no campo dos sentimentos e das intenções, é preciso que, cada um de nós, reflita sobre as mudanças pessoais que precisa fazer. Sem essas mudanças o coletivo não será alterado. Albert Einstein disse com muita propriedade que “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”. Como não queremos ser tidos como insanos, creio que é melhor buscar das mudanças nas diferentes áreas de nossa vida.

Em relação à Igreja, é claro e notório que temos enfrentado muitos desafios nos últimos anos. Perdemos membros, perdemos poder aquisitivo, perdemos talentos e, por isso mesmo, muitos perderam o ânimo. Quando as pessoas perdem o entusiasmo, é como se um processo de “depressão coletiva” atingisse boa parte dos membros da comunidade. Alguns desistem, vão para outras igrejas. Outros perdem o compromisso com Deus e com o grupo de fé: apenas participam dos cultos e atividades, quando não se tem outra coisa para fazer. As coisas de Deus deixam de ser prioridade. Outros ainda, tornam se críticos amargos – sempre que vão, ressaltam o negativo, falando mais dos ausentes do que dos irmãos presentes. Enxergam mais as falhas do que os esforços dos poucos que estão sobrecarregados. Não conseguem perceber que, se mudassem de postura, a sua igreja também seria mudada: poderia ter um louvor melhor, um departamento infantil com melhores condições, um grupo de homens e mulheres mais animados, jovens e adolescentes fortalecidos, mais recursos financeiros, etc

 

Isto posto, quero desafiá-los a construirmos, de fato, um novo tempo. Quero convidar, individualmente, a cada membro e participante da Quarta Igreja, a assumir os seguintes compromissos:

  1. Falar apenas bem de minha Igreja;
  2. Não ficar indo em outra igreja, pois isso estimula os desanimados a irem também;
  3. Não faltar dos cultos e não assumir compromissos em dias de cultos, sempre que possível;
  4. Orar mais e ler mais a Palavra de Deus, buscando viver em mais santidade;
  5. Participar mais da vida da Igreja: Escola Dominical, culto nos lares, discipulado, Projeto evangelístico e Social, colocar os meus dons espirituais a serviço do Senhor, etc;
  6. Me envolver mais com o cuidado mútuo, sendo uma bênção na vida dos irmãos, e;
  7. Contribuir de forma sistemática e generosa para o sustento da obra do Senhor;

 

Como pastor, já me comprometi diante de Deus em relação aos desafios acima, agora me comprometo diante de vocês. Espero que a recíproca seja verdadeira.

 

Encerro com uma célebre frase do grande teólogo e avivalista da Grã-Bretanha no séc. XVIII, John Wesley: “Dai-me cem homens que nada temam senão o pecado, e que nada desejam senão a Deus, e eu abalarei o mundo.

Que Deus abençoe o trabalho de nossas mãos e os frutos de nossas vidas!

 

Pastor Agnaldo P. Gomes