Estrutura Organizacional

Estrutura Organizacional e Administrativa da IPI do Brasil

1) Órgão de Governo

a) Assembléia Geral

b) Comissão Executiva da Assembléia Geral

2) Órgão de Gestão

a) Comissão Executiva da Assembléia Geral

b) Diretoria da Assembléia Geral

c) Secretário Geral

d) Tesoureiro

e) Administrador Geral

f) Ministérios e Secretarias

g) Assessorias e Representações

Assembléia Geral: Atribuições (Constituição da IPI do Brasil, Artigo 121)

I – Decidir, com fundamento nas Sagradas Escrituras, sobre questões de doutrina e prática, bem como estabelecer regras de governo, disciplina e liturgia;

II – Organizar, disciplinar, fundir ou dissolver Sínodos;

III – Examinar as atas e atos dos Sínodos;

IV – Atender a consultas, representações, referências e apelações encaminhadas pelos Sínodos;

V – Fazer cumprir as suas próprias decisões e velar para que seja prestigiada a autoridade dos concílios inferiores;

VI – Concertar planos para o interesse geral do trabalho, instituir e superintender agências necessárias ao trabalho geral, nomear ministros, com anuência de seus concílios, bem como presbíteros, para o desempenho de diferentes funções;

VII – Estabelecer e sustentar trabalhos de evangelização no exterior;

VIII – Promover os meios de sustento das instituições gerais, mediante arrecadação percentual das rendas das igrejas locais;

IX – Resolver sobre cooperação com outras comunhões eclesiásticas;

X – Definir as relações entre a Igreja e o Estado;

XI – Superintender e gerir todas as atividades da Igreja, como instituição religiosa;

XII – Organizar e superintender o ensino teológico;

XIII – Superintender toda a atividade leiga da Igreja;

XIV – Adquirir, alienar ou onerar bens da Igreja;

XV – Examinar as atas e homologar as deliberações da Comissão Executiva;

XVI – Providenciar e supervisionar a formação teológica de ministros, em nível de graduação e educação continuada.

Comissão Executiva da Assembléia Geral (Estatuto da IPI do Brasil, Artigo 19)

I – Executar as decisões da Assembléia Geral;

II – Nomear os membros das secretarias, assessorias, comissões e outros departamentos da Igreja;

III – Aprovar o orçamento anual da Igreja;

IV – Contratar e demitir empregados da Igreja;

V – Propor, à Assembléia Geral, medidas que julgar convenientes para o desenvolvimento da Igreja;

VI – Decidir sobre a convocação da Assembléia Geral;

VII – Representar a Assembléia Geral nos intervalos de suas reuniões velando pela fiel observância e execução de suas deliberações, podendo decidir sobre casos urgentes, ad referendum da reunião seguinte (Constituição da IPI do Brasil, Artigo 80; Estatuto da IPI do Brasil, Artigo 17).

Diretoria da Assembléia Geral:

Competências

I – Cumprir e fazer cumprir as decisões da Assembléia Geral e da Comissão Executiva da IPI do Brasil;

II – Supervisionar a administração geral da IPI do Brasil;

III – Indicar, para nomeação pela Comissão Executiva da Assembléia Geral, as pessoas para os ministérios, secretarias, assessorias, comissões e outros departamentos da IPI do Brasil;

IV – Indicar, para contratação pela Comissão Executiva da Assembléia Geral, as pessoas para os cargos de secretário geral, tesoureiro e administrador geral da IPI do Brasil (Estatuto da IPI do Brasil, Artigo 19, Inciso IV);

V – Indicar auditorias independentes para a Comissão Executiva da Assembléia Geral;

VI – Nomear, juntamente com os membros dos ministérios, os integrantes de suas respectivas secretarias;

VII – Responsabilizar-se pelas relações intereclesiásticas da IPI do Brasil;

VIII – Divulgar junto aos concílios e igrejas locais as atividades gerais da IPI do Brasil.

Secretário Geral: Atribuições (Estatuto da IPI do Brasil, Artigo 22)

I – Executar, implementar e diligenciar pelo cumprimento das decisões da Assembléia Geral e de sua Comissão Executiva;

II – Substituir o presidente nos casos previstos no Art. 12 da Constituição;

III – Publicar em “O Estandarte”, órgão oficial da Igreja, o resumo das atas da Assembléia Geral e de sua Comissão Executiva, contendo claramente as suas decisões;

IV – Organizar e manter o arquivo de documentos oficiais da Igreja;

V – Organizar, juntamente com a Diretoria, as reuniões da Comissão Executiva e da Assembléia Geral;

VI – Representar a Igreja por delegação do presidente.

Tesoureiro: Atribuições (Estatuto da IPI do Brasil, Artigo 23)

I – Receber e registrar as receitas financeiras da Igreja, responsabilizando-se pela sua guarda e movimentação;

II – Efetuar os pagamentos regulares e os autorizados pela Comissão Executiva;

III – Ter as contas em ordem e em dia, e apresentá-las com o respectivo balancete e documentos, sempre que lhe ordene a Comissão Executiva.

Administrador Geral: Atribuições

I – Gerenciar o Escritório Central da IPI do Brasil;

II – Gerir a utilização e conservação das propriedades e os recursos patrimoniais da IPI do Brasil;

III – Apresentar, anualmente, inventários, relatórios e balanços patrimoniais à Comissão Executiva;

IV – Superintender a organização e realização dos eventos de âmbito nacional da IPI do Brasil;

V – Responsabilizar-se pela gestão dos benefícios pastorais (seguro de vida, previdência suplementar e outros);

VI – Reportar-se ao secretário geral no cumprimento de suas atribuições.

Ministérios e suas Secretarias

I – Ministério da Missão

a) Secretaria de Evangelização

b) Secretaria de Diaconia

c) Secretaria de Família

d) Secretaria Pastoral

II – Ministério da Educação

a) Secretaria de Educação Teológica e Continuada

b) Secretaria de Educação Cristã

c) Secretaria de Educação Secular

d) Secretaria de Música e Liturgia

III – Ministério da Comunicação

a) O Estandarte

b) Revista Alvorada

c) Portal da IPI do Brasil

d) Associação Evangélica Literária Pendão Real

e) Outras Mídias Assessorias

a) Consultoria Jurídica

b) Estatística Representações

Quer saber um pouco mais sobre nossa Estrutura Organizacional? Então acesse o Site Oficial da IPIB