Hino Oficial

A história de “Um Pendão Real” como o hino oficial da Igreja Presbiteriana Independente começa no dia 31 de julho, quando da fundação da IPI. Segundo o Rev. Vicente Themudo Lessa, um dos protagonistas da fundação da Igreja, “Um Pendão Real” foi um dos hinos cantados naquela noite, mas foi “o mais celebrado”. Sua melodia empolgante e sua letra arrebatadora fizeram dele a marcha propícia para um grupo desejoso em ser fiel a Deus.

O pastor batista Bill H. Ichter, em seu livro Vultos da Música Evangélica no Brasil, registra a maneira como o “Um Pendão Real” foi cantado naquela noite memorável conforme segue:

Durante a reunião, um mensageiro não se conteve e, do fundo do salão da Igreja Presbiteriana Independente, o homem começou a entoar em voz alta um hino. O homem que interrompeu aquela solenidade era Antonio Ernesto da Silva, que mais tarde se tornou pastor batista. O hino era “Corajosos” (número 469 do “Cantor Cristão”), o hino mais conhecido pelas três primeiras palavras da sua primeira estrofe – “Um Pendão Real”. O mesmo Antonio Ernesto da Silva descreve esta experiência na página 18 da autobiografia, “Humilde Testemunho de um Resgatado”: Quando triunfaram os princípios da Independência, ao levantarmo-nos da primeira oração…não pude conter-me e rompi com o hino “Um Pendão Real”, mais tarde adotado como o Hino da Independência’…”.

Na verdade, o “Um Pendão Real” é um dos hinos do período áureo da canção evangelística no protestantismo norte-americano. Seu compositor e seu autor, respectivamente, James McGranahan e Daniel Webster Whittle, foram figuras ligadas ao surgimento e disseminação de hinos de apelo popular, na segunda metade do século XIX. “Um Pendão Real” foi composto em 1884, ganhando o título original de “There’s a Royal Banner”. McGranahan tornou-se um dos mais famosos compositores e cantores de canções evangelísticas, sucedendo a outro grande nome desse movimento, Philip P. Bliss.

Em 1893, um lisboeta de ascendência inglesa, Henry Maxwell Wright, evangelista e também hinólogo, traduziu “There’s a Royal Banner” para o português, especialmente para a instalação das atividades da Associação Cristã de Moços (ACM) no Brasil. O hino acabou se tornando a canção oficial da ACM brasileira, sendo entoado por muitos anos nessa condição.

Foi, porém, como o hino oficial da IPIB que o “Um Pendão Real” se tornou conhecido no protestantismo brasileiro. Por décadas, ele tem sido cantado como uma autêntica “marselhesa” da Igreja Presbiteriana Independente, incendiando os corações com o mesmo fogo que incandesceu os protagonistas de 1903.

No ano de 1975 o “Salmos e Hinos” passou por uma revisão, sendo então alterada a letra de “Um Pendão Real” na nova edição. A IPI do Brasil, porém, determinou que o seu hino oficial continuasse a ser entoado com a letra original. No Supremo Concílio de 1987 fez-se a única alteração: a substituição da palavra “negros” por “densos”, na primeira linha da segunda estrofe.

LETRA OFICIAL DO HINO “UM PENDÃO REAL”

Um pendão real vos entregou o Rei
A vós, soldados seus.
Corajosos, pois, em tudo O defendei,
Marchando para os céus.

Com valor, sem temor!
Por Cristo prontos a sofrer!
Bem alto erguei o Seu pendão,
Firmes sempre até morrer!

Eis formados já os densos batalhões
Do grande Usurpador.
Declarai-vos hoje bravos campeões;
Avante, sem temor!

Quem receio sente no seu coração
E fraco se mostrar,
Não receberá o eterno galardão
Que Cristo tem prá dar.

Pois sejamos todos a Jesus leais,
E ao Seu real pendão.
Os que na batalha sempre são fiéis,
Com Ele reinarão.